Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi

30
Jul13

Andaimes. Trinity

Pi
De vez em quando Trinity (esse, do Dexter) vem-me a cabeça. Uma vezes porque vejo homens a passear cães, outras porque vejo andaimes e obras de noite. Medo. Tanto.
Palavrinhadonra que ainda não consigo ver John Lithgow tranquilamente. Quanto maior o ar casual, mais medo tenho.
Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry® www.blackberry.com
29
Jul13

Kardashians. Assumo tudo

Pi

Os Kardashian. Só assim, sem mais nada. Porque são todos. 

Eu nunca me tinha dedicado ao clã Kardashian. Para mim, até há uns meses, existia uma Kim Kardashian e tudo era uma grande nuvem (pelo menos até à vida com Kanye). E era a Kim Kardashian neste tom "não sei, nem quero saber. Não percebo o dinheiro dessa gente nem o sucesso do dia para a noite só com uma sex tape. E muito menos quero saber do menine e essa Kardashian person. E agora não sei que pensar do Kanye West, estou perdida." E era isto, a maturidade de sempre portanto. 

Uma amiga, viciada em E! (e se aquilo vicia, pelo menos pessoas como eu que se deixam apanhar pelos TLC da vida, até já Ice Loves Coco estava a ver) falava-me nas irmãs, por alto, que eu quando não sei nem conheço sou uma seca. E eu, não sei bem como, há umas semanas comecei e já quase acabei de ver tudo. 

Sem medos. Sem problemas. Vi praticamente todos os Keeping Up With the Kardashians e os spin offs (sim, há spin offs). Fiquei a saber quem são, já as distingo dos Jonas Brothers - vestem-se melhor, é este o truque, aprendam - e pronto, é mais ou menos isto. Se fiquei mais rica? Não. Fiquei mais culta? Não, continuo com uma cultura pop/mainstream que só visto. Se me sabe bem ver trash tv? Tão, mas tão bem. 

Uma coisa ou outra? As manas têm dinheiro e cabelo que não acaba, o pai Kardashian (já falecido) defendeu OJ e a mom'ager Kris é que lhes trata das carreiras. Carreiras... Conheço melhor o Lamar Odom e o Bruce Jenner. As irmãs vestem, se não lindamente - isto dos gostos já se sabe, pessoalmente gosto de muita coisa que vejo - pelo menos caro, muito caro. A máquina está mais que a andar, aparecem, recebem para aparecer. Como por cá, mas em milhões. 

Depois o outro lado, e que acaba por ser o que dá o twist: as manas são bregas no trato e na vidinha em geral. Não se odeia nenhuma, não se adora nenhuma. Ou sim, mas à vez. Não, não se adora (nem se detesta). 

A coisa não liga: Louboutins, carteiras Chanel, calão e gritos casas (as casas...) fora. É uma sensação de belo horrível. Podia ser tudo perfeito e lindo, mas acaba sempre com gritaria e/ou comida cabeça abaixo.

Eu tive o meu treino com muitos Toddlers And Tiaras e a prova de fogo com Honey Boo Boo (não passei, vi 2, 3 episódios se tanto). Depois de TLC, as Kardashians parecem glamour. Mas só parecem.  

E depois vai acontecer-me o mesmo que com o America's Next Top Model. Vi tudo, lembro-me de quase nada. E assim é que está certo nestes casos. 

 

 

28
Jul13

Afinal continuo no filme

Pi
O acting. Péssimo. Ainda assim, MacLeod consegue ser melhor actor no sec. XVI que no XX. Nesta altura - talvez neste filme - vitorias escocesas, romanas ou gauleses, todas tinham a mesma formula: muitos hip hip hooray a cavalo e espadas no ar. Eramos todos iguais entre os anos 1000 e 1500. Ah, a globalização como nunca a vimos. São os tais lots of different places. Ele era o mesmo em todos, de facto. Cabelos compridos muito escovados para parecerem despenteados. Um coisa muito Kiss mas não chega a Europe. Também era melhor, pareceriam senhoras em batalha.
E eu que queria comentar bichos. *sigh*
Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry® www.blackberry.com
28
Jul13

Duelo Imortal agora no Hollywood

Pi
Façamos uma ficha. Tolero, muito pelo Sean Connery. Nunca fui grande fã. Muito menos da série, escusam. Só nos anos 80 um estrábico podia ser sex symbol do dia para a noite. Não me lembrava de o Christopher Lambert estar tao loiro. Estes saltos e duelos muito encenados sem nenhum filtrozinho ou efeito especial. That's cute. Christopher Lambert. Logo, Diane Lane. Logo, naturalmente, Josh Brolin. Cheguei onde queria. Tá tudo.
Vou ver BBC wildlife. Se me deixarem.
Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry® www.blackberry.com
25
Jul13

Os Irrevogáveis

Pi
Os 6% estão de volta. Menos vários euros já a partir do próximo mês.
Uma adaptação pos-decisão do TC.
E com efeitos em Agosto mas ainda relativos aos ultimos dias de Julho.

Adoro.
Não, não adoro nada.

Emprego precisa-se.

Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry®
www.blackberry.com
20
Jul13

Das redes sociais. 'Cabadinho de ouvir

Pi
"As redes sociais não tornam as amizades um bocadinho mais artificiais?"

Não, assim de caras: não.
Agora se somos todos amigos ou não também é discutível. Tal como na vidinha lá fora.

O que eu sei é que na vida fora das redes há quem me conheça bem e me adivinhe muita coisa: gostos, pensamentos, risos. MAS! Nas redes sociais também há, e são mais pessoas. E é isto.

Verdade verdadinha, a minha cabeça tal como ela é anda pelo twitter - vagamente pelo facebook - e isso ajuda a adivinhar-me lógicas (?) e tolices.

Se amizade é chorar de emoção ao por do sol de mãos dadas e descobrir que a vida vai ser boa porque somos amigos, disso não tenho nem no real nem no virtual. Também não preciso.

Sei que me rio e me divirto. Rir sim, é o meu por do sol de lágrimas nos olhos e cabelo ao vento. E não sei rir artificialmente. Só assim "xD" e se na vidinha real pouca gente o perceberia, na virtual muita gente sabe a interpretação que tem. Olhem, nuances e subtilezas, para mim é isso que importa nas redes sociais.

Pronto, não fica tudo dito mas também não temos pressa e há mais blog para escrever.

Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry®
www.blackberry.com
19
Jul13

Da incompatibilidade. Mp4

Pi
No caso, zipy-iTunes, resulta que não mudo a tralha do mp4 há mais de um ano. Alguma preguiça envolvida, admito. Ou porque não me lembro de levar o cabo atrás, ou porque não seleccionei novo alinhamento (nunca são, pego em albuns que queira conhecer melhor, ou que me apeteca reouvir, ou que vou ver em breve, não há rigor nem ordem), ou porque o cão está a olhar. Desculpas.
Desta incompatibilidade, dizia eu, resulta então que ando com o dia de Rock in Rio do ano passado, James de há dois (ou três?), Alabama Shakes e Tame Impala (cá está, laivos de modernidade a lembrar que estou em 2013), uma compilação de OST do Almodovar (e é quando vibro com Luz Casal que sei que não estou assim tao longe das senhoras que vao ver o Julio ao Atlantico Meo Coiso. É , é), e os podcasts do Ricky Gervais. Ah! E ainda dois sambas, Tarantino OST, acho que um Boss AC e um skunk. É uma pequena amostra desta miscelânea que me salta de cada vez que o ligo. E volto sempre ao momento em que ouvia mais cada musica. No fundo era aqui que o post pretendia chegar. Volto aos olhos esborratados e mantilha descaída, tacones lejanos e tiranos. Volto ao Campo Pequeno e Baia de Cascais em menos de um ano, volto ao Boss (volto sempre ao Boss).
Era mais ou menos isto, no metro e a seguir ao primeiro café do dia, fazia mais sentido. Tá dito, tá dito.



Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry®
www.blackberry.com
19
Jul13

Para tudo!

Pi
Estava a escrever um post interessantissimo sobre o conteúdo do meu mp4, mas este atravessou-se-me em toda a sua urgência.
Entrou no metro uma daquelas malas, como chamavamos? Da tropa? Não sei, são em lona, verde-tropa (esta por acaso é preto-já-ruço) debruadas a beige. Aaaw... Tinha-as tao presentes mas acho que não via uma há séculos.
Era isto. XoxOox


Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry®
www.blackberry.com
01
Jul13

Ainda as filas

Pi
É sabido que se tiveres um saco ou mochila vais levar encontrões de toda a gente, que passa como se não o tivesses.
É também sabido que ninguém conta com o volume extra de um saco ou mochila que traga consigo. Levarás da mesma forma encontrões, desta feita dos sacos dos outros.
Conclusão: os sacos são invisíveis.


Enviado a partir do meu smartphone BlackBerry®
www.blackberry.com

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D