Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

O treinador que eu gostava de ter

Pi, 08.10.12
No meu clube, claro está.
Não tenho nome, não tenho embirrações, venha quem vier terá o meu beneficio de duvida e paciência (não faço outra coisa que esperar resultados).
O que eu gostava ou lhe aconselho é:
meter aquela rapaziada a mexer, e correr só não basta;
Dizer-lhe que um bocadinho de agressividade nunca fez mal a ninguém. Eu tambem gosto de equipas felizes e contentes, mas está visto que só assim não vamos la. Um bocadinho de Rinaudo em cada um e seria perfeito
Que van Wolfswinkel (rica criatura, que lhe quero tao bem mas o miudo não se aguenta de pé) desenvolva musculo e força nas pernas. Não precisa de ser um Ronaldo (o fenómeno, não o menine) mas pelo menos se aguente em 80% dos lances em que escolhe cair. Ah, e arranjem-lhe concorrência no lugar.
Não tenho muito mais a individualizar. Jogue quem jogar, que o faça eficazmente.
De resto é começar por aqui: dizer-lhes que chutem a baliza, que uma jogada deve ir do inicio ao fim e se não o for seja por mérito do adversário e não azelhice nossa, e por fim, é dizer-lhes que os de verde e branco somos nós e a ideia é jogarem uns com os outros.
Acho que seria um bom começo, não me parece dificil preencher estes requisitos. Mas isto sou eu...
Até lá, zonza com os nomes que já se falaram, pretendo desligar até ao primeiro treino. Acordem-me nessa altura.


BlackBerry®
www.blackberry.com

Da praia

Pi, 07.10.12
Hoje mais duas horas, para não desabituar e as saudades dos dias de praia custarem menos.
Ir num pé a areia e voltar no outro. Sem ir ao mar, hoje. Mas soube bem tra la la la Góstante de praia, um ano destes fui quase até meio de outubro. Hábitos que custam a perder mazé, e eu vou muito facilmente a praia em abril, maio (em fevereiro e marco não me chama) e para deixar de ir é sempre aos poucos.


BlackBerry®
www.blackberry.com

Pensamentos tao pouco profundos, senhores. Oiça...

Pi, 06.10.12
Glitter. É do que eu mais gosto em JLo ou Beyonce. Não tendo nada a ver a musica de uma e outra, sempre as associei no que mais gosto: o cabelo volumoso, as coreografias e todo o brilho e corderosice que as rodeia em palco e videoclips.
Não fui ao concerto, mas quererei ver dvd se existir. Devorei o I am World Tour da Beyonce. Todo aquele brilho e cor de rosa me faz voltar a idade das princesas. Ou talvez nunca tenha de lá saído, é indiferente, já está dito.
Há um misto de cigana e pirosa-cor-de-rosa coberta de Cavalli e Versace em mim. Ou haveria, assim tivesse figura e meios para tal. Assumo tudo.
Gosto de cores vivas e alterná-las com leopardos e zebras, gosto pronto. O que me lembra que no toddlers and tiaras há crianças de 4 anos assim vestidas. Mas isso dará novo post.



BlackBerry®
www.blackberry.com

Dos amuos

Pi, 06.10.12
Continuo amuada com o jogo de quinta. Sou assim. Há jogos e jogos, há derrotas, e depois há estes baldes de água fria. E eu sou um bocadinho de amuos, não ajuda.
Está ali, toda a gente viu, nem se pode atirar para um buraco ou debaixo de um tapete. A assistência de Boulahrouz foi realidade a nada a pode desfazer. Ora raios para isto. Calma, não há implícito um "volta Polga", ainda não estou louca. Daquilo ambos são capazes e deste ainda conheço pouco, dou beneficio da dúvida.
E agora cegadas e discussões sobre se Rinaudo fez bem em repreender Cedric, quem tomou partido de qual, ai não quero saber disso, mexam-se todoz mazé!
Isto era muito mais simples se eu só ligasse depois dos jogos e só em caso de vitoria. Mas não é o que se passa e eu tenho um clube esquizofrénico, habituo-me a viver com isso pensando que melhores dias hão-de vir.
Eu podia dizer: acordem-me quando o pesadelo acabar, mas isso não é ter um clube. E eu tenho, tenho quotas pagas, e lugar de época. Não só não faz o meu género só acompanhar vitórias, como seria dinheiro desperdiçado.
Terei chocolate com avelãs por perto para me consolar, avancemos, por agora com Oceano (ai...), e no Dragão já amanhã *suspiro* (mas estarei de pedra e cal - e o tal chocolate - em frente a tv).



BlackBerry®
www.blackberry.com

E hoje mais um 5 de outubro

Pi, 05.10.12

A República tem cento e dois anos e o país está de rastos. Muito bonito.

Uma tristeza e a nós resta o dia a dia, mesmo que vamos para a rua e gritemos o que nos indigna, teremos de o viver e esperar pelo que aí vem.

Pelas redes sociais tudo se virou do avesso como a bandeira esta manhã, e está feito o feriado. O último. Aquele que dá tanto jeito para uns dias antes de começar o mau tempo.

Nos últimos dois anos estive fora no início de outubro: o ano passado em Londres, há dois anos Amesterdão. Este ano planeava estar em Istambul por esta altura, mas com os acontecimentos do verão, não pôde ser. Um dia destes vou lá. Não será muito republicano da minha parte (ainda por cima estive em duas monarquias), mas soube-me bem. A repetir assim que possível.

E botas? Ainda nada. É isto.

Este post tinha de chegar

Pi, 04.10.12

Não há blog meu sem menção ao meu clube, é mais forte que eu.

(%$&$#&$#%$ se eu percebi que $&%#$%&#$$ se passou ali hoje %#$&#$&)

Sim, sou do Sporting e até já sei do que a casa gasta, não conto com jogos ganhos à partida. Se digo que estou nervosa antes de um jogo sei bem do que falo, já vi suficientes para saber que tudo pode acontecer. Mas hoje nem tenho reacção, foi o cair no abismo que tanta gente já previra.  

(&#%$&$$# raizuspartam mais o $%$&$& se não é um é outro)

E eu, eu tenho sempre esperança "ah, pode ser que não seja tão mau assim..." e depois... depois o Sá Pinto não leva Elias, Capel nem Carrillo, tira o Rinaudo, e eu acabo enterrada no sofá, amuada, a desejar um reset a tudo. 

É capaz de deixar um livro a meio?

Pi, 03.10.12

Perguntava ali e eu respondi automaticamente "tantos". E de seguida achei que podia participar.

Eu chego a ter 4 e 5 livros começados. E alguns nunca cheguei a terminar mesmo, mas conto com eles como "a meio", um dia lê-los-ei.

E de facto, regra geral não é porque não lhes queira voltar a pegar, mas alguma coisa não funcionou. Nem que tenha sido preguiça. Já me aconteceu não achar muita graça a um tom, mas também já me aconteceu gostar da narrativa, da escrita e o Intermitências da Mort... o livro pois! ainda ali está por ler.

E não se pense que não sei como é bom ler. Adoro a sensação de querer voltar depressa para casa ou para onde possa ler mais um pedacinho da vida daquelas pessoas que acompanho e me acompanham enquanto o livro durar. E adormecer a ler? Top. Ler e reler a mesma linha numa teima de "ainda não estou a dormir, não estou" e já estou completamente. Há poucas coisas tão boas. 

Elevando o espírito. Com saltos. E logo descendo um pouco

Pi, 03.10.12

Já há botas giras em todo o lado! *corre de braços no ar* abriu a temporada.

Eu sem emprego, subsídio sabe Deus e quando o tiver é para pagar 'nha rica toca e para pouco mais chegará, e as botas a sair de todo o lado. De blogs, redes sociais, montras e rua. Marcas, marquinhas, marquetas. Botas e mais botas.  Botas, botins, fivelas, tachas e lacinhos, saltos e tacões. Botas e mais botas.

Faço sempre isto. Vejo, olho, namoro as botas de que mais gosto. Dois, três géneros diferentes, geralmente as mel ou camurça são as minhas eleitas seja qual o modelo. É uma fraqueza minha, botas dessas cores, nem sei bem porquê. Adiante, ía explicar o meu m.o. que não é nenhum, é mais um contentar-me.

Eu gosto muito de botas, mas as botas não gostam assim muito de mim. Ou eu não me faço gostar, talvez seja por aí. Sucede que devido ao diâmetro da minha perna (passemos isto em fast forward) nem toda a bota me entra. Assim, é um bocadinho entre a tentativa e das-que-gosto-ora-a-ver-qual-consigo-fechar. Há quem tenha o problema inverso bem sei. Mas agora até se usam as botas mais folgadinhas, acho que todas nos safaremos de uma forma ou de outra. 

Abriu a caça à bota, então. Vão sem mim que eu vou lá ter (e vou). Se adquirir umas apresentáveis, depois mostro.

3 meses sem Joaninha. Do triste da vida

Pi, 03.10.12

Não vou deixar o pior para o fim, esclareço já de entrada: a Joaninha morreu em julho. Assim, porque foi assim que nos desapareceu também. Ou assim parece: nada nos prepara, nada consola. Era minha colega, era da nossa equipa. A Joana marcou muita gente que a conheceu e isso é o que nos fica no meio da revolta de não podermos impedir a desgraça.

 

(Eu juro que quero passar o positivo, palavrinhadonra. Mas não é fácil.)

 

Eu não era a mais próxima da Joana (tenho saudades dos que eram, muitas) mas ainda a tenho bem presente, a maneira de andar, de ir a um lugar e voltar ao dela, a baixar-se ligeiramente para ser discreta enquanto sorria, do riso, das cantorias, das angustias.

Sempre me senti num big brother, não por ser observada, mas pelas horas que passamos juntos. No trabalho - e em open space então - estamos mais tempo uns com os outros do que com familiares e amigos de casa. E isso pode não significar fazermos amigos de casa, mas no caso da minha equipa gerou-se um ambiente que nos uniu e sejamos frontais, nos aguentou mais tempo do que seria de esperar. 

Havia quem revirasse os olhos quando se falava no bom ambiente, interessam os números e o resto é paisagem. Não é. Se não houvesse o ambiente no qual a Joana foi parte fundamental, tenho a certeza que teria havido mais rotatividade e mais cedo do que houve. Não tenho qualquer dúvida.

 

Toda a gente ali trabalhava, a questão nem nunca admiti que fosse essa, só conseguimos que fosse mais suportável um dia a dia mal pago e muitas vezes mal agradecido. 

Ficam-nos as memórias e as saudades. Ao dia 3 de cada mês, confortamo-nos com uma mensagem e lembrança da Joana. É o que importa no fim, que importa o resto. 

 

Esta fotografia é de janeiro, no almoço em que trocámos presentes e eu fui a amiga secreta da Joana.

#PrayForBimby

Pi, 03.10.12

Já a levei à Vorwerk e ficou lá (a casa está vazia sem ela... ahahah peço desculpa, voltaremos a um tom grave em segundos). Um aparte: a Vorwerk tem sempre um aspecto impecável (vou à de Alfragide) e o atendimento é bom. Sim, eu sei "também era melhor", mas já vimos acontecer pagarmos um serviço e os apoios deixarem a desejar. Digo eu. 

Contactam-me para orçamentos e assim, mas ouvir falar em "placa de potência" não me deixa muito animada.

*dor* nem sei bem que esperar. Não tenho eu carro para não me preocupar com rombos e despesas. O que mais me chateia é ter sido asneira minha, reguei a bimby gratuitamente. A cabeça na lua será sempre a minha desgraça, estou certa.

Não é um tacho ou um robot de cozinha, para mim é o meu gadget do dia a dia. Faço um simples arroz na bimby, assumo tudo, mas também gosto de ver uma receita tradicional e adaptar-lhe velocidades e temperaturas na bimby e o resultado ser igual. Tem cuca no lance, sim.