Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Das amigas. Principe Rodrigo

Pi, 03.05.13

Bárbara fala ao telefone. 

 

BárbaraAh pois, estava a dizer-te: então disse ao Rodrigo “queres ir dormir para o teu quarto? É isso que tu queres, é?”. Ah sim, sim, teve de ser. Estava a fazer uma birra... foi remédio santo. Pronto, era só isto que te queria contar. Tive de o repreender. 

Está bem, estamos combinadas para amanhã. Preciso de desabafar, fiquei abalada com este castigo. Beijinhos, querida. - desliga.  

RitaOuvi bem? Castigaste o príncipe Rodrigo?

BárbaraAi, não me digas nada. Custou-me tanto. Mas teve de ser, fez-me uma birra tal à hora e deitar... Disse-lhe (Bárbara finge que se zanga, numa voz infantil): "Queres ir para o castigo? Queres ir dormir no teu quarto, na tua cama? É isso que queres? Então se não é, pára de chorar.” E ele acalmou. Mas custou-me.


Mónica e Rita olham uma para a outra incrédulas.


MónicaOlha, eu já sei que não sei porque não sou mãe, mas o castigo é o Rodrigo dormir no quarto dele, na cama dele?!

Bárbara -  Claro, ele detesta!

RitaMas o Rodrigo um dia vai ter 16 anos. E eu sei que pensas que vou dizer que não pode dormir para sempre contigo, mas para perceberes vou ser mais clara: ele não vai querer dormir contigo para sempre.

Mónica - E que falta de higiene, Bárbara. Além de que ele já tem 5 anos.

Bárbara -  Tu não percebes. E tu tens quatro filhos, Rita, não seria fácil dormir com todos, eu percebo. Ele gosta de dormir com a mãe...

Rita - Lembra-te só que isso não faz de ti mais mãe.

Mónica - Claro que a Bárbara nos diz que sim a tudo, mas no fundo pensa (Mónica imita exageradamente Bárbara):  "eu é que sou a que sou mais mãe, o meu filho gosta mesmo de mim e esse amor mede-se pela vontade de dormir na minha cama, e o inversamente proporcional horror ao quarto dele”.


Rita ri, Bárbara fica aborrecida


Bárbara - Ai, que parvas... não digas isso, é o meu bebé.

RitaQue há-de ter onze anos, e meia personalidade nas saias da mãe.

Bárbara Oh, é amor, não vês?

RitaVejo, vejo. Vi quatro vezes que não os devia deixar a dormir na minha cama – na verdade nem me passou pela cabeça – e todos os quatro estão aí, independentes e não deixam de ser meigos.

Bárbara - Mas e a ligação à mãe? Isso nada paga.

Rita - Hello? A mãe sou eu, lembras-te? E eles não gostam menos de mim por terem dormido cada um na sua cama.

Bárbara - Não quis dizer isso. Mas o meu não vive sem mim. Muito menos dorme sem mim.

Mónica - Está bem. Então quando levares um namorado lá a casa, quero ver como é à hora de deitar. Imagina, Rita...

Rita - Sim, já estou a ver a Bárbara: "Olha, o Rodrigo dorme aqui connosco, se não te importas."


Mónica e Rita riem.


Bárbara - Um quê?! Estão loucas?

Mónica - Ah, claro... a Bárbara morreu para o sexo, já me esquecia.

Rita - Olha Bárbara, isso é uma tolice tão grande, mas tão grande, que te vou fazer o favor de a ignorar. Então e tu Mónica, como tens andado? O Pedro? 


Continua...