Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Baleias às cores ou são loucos estes miúdos

Pi, 29.04.17

Estive a ver que é essa coisa da Baleia Azul - palavrinhadonra que pensei que era o nome de uma nova operação da PJ -, e assim à partida arrisco dizer que há uma coisa a garantir o acesso: ser parvo. Logo aqui, a premissa já é má.

Eu sei, eu sei, também já fui adolescente, a espiral de depressão e tristeza é muito tentadora nestas idades, e a pressão do grupo pode ser devastadora, não me esqueço disso. Talvez tenha tido os meus momentos "que bonito é o horizonte e umas lágrimas ao vento", mas não aparvalhei mais que isso. Nunca me cortei, há vinte anos isso não era uma ordem, era sinal de famílias a desabar, ou problemas na escola. E eu só o vi em séries e filmes sobre adolescentes. 

Se quiserem ver as regras, saber mais sobre o jogo, está aqui. Eu não 

pretendo jogar, mas tenho dúvidas: se o objectivo ao fim de 50 dias é o suicídio, e se desistir dá direito a ameaças, como é que há jogadores seniores? São jogadores com 45 dias de jogo? Estas regras não estão bem pensadas, ou há aqui tentativa de (eles querem é) poleiro.

Entretanto vi também que foi criada a Baleia Rosa. Mais saudável, mais positiva (não tenho a certeza de isso atrair adolescentes, mas não deixa de ser de louvar, que o assunto é sério).