Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Da vida de Pi

Da vida de Pi... nilla. Uma espécie de director's cut, vá. Vivo de ler e escrever. De ler escritas, de escrever leituras, de debater termos e criar frases. Aqui escrevo da vidinha. Vidinha de Pi, é isso.

Então e a Marta Gautier? Ah pois, a Marta Gautier

Pi, 09.06.15

Fui ver, pois fui. Fui ao Coliseu há duas semanas ver o stand up daMarta Gautier que já queria ter visto há mais tempo. 

Ah, sempre é verdade que ela grita muito? 

É verdade é. Mas faz o disclaimer logo no início e os gritos têm lugar e hora no resto do discurso. Muitos deles são as pausas estratégicas de muitos humoristas. A Marta grita as pausas e a coisa resulta. 

Ah, mas nem faz pausas? Isso não é stand up.

Faz as pausas faz. Não sejam chatinhos. 

A Marta retrata episódios do quotidiano e tem muita graça a fazê-lo. Vividos, sentidos ou não, todos os reconhecemos e reconhecemos alguém naquelas descrições. 

Ah mas isso já foi feito.

Pois já foi, é-o diariamente. O que interessa aqui é que é bem feito, e o resultado tem mesmo graça. 

A parte mais dark, ou séria vá, da coisa é o renascer da autora, a reviravolta que deu na sua vida e desabafa e confessa mais para o fim. Um meio soco no estomago, não esperava esse momento intímo. 

Valeu bem a pena. Não se deixem ir pelo diz que disse, os preconceitos e essas tonterias. Vão ver e julguem.  

Considero fortemente a possibilidade de ir assistir a umas Conversas Sérias um dia destes.